quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Zé

Boemia aqui me tens de regresso!

Porque quem tem um Zé por perto tem sua energia minada
até a mais completa exaustão,
o blog largado às suas próprias penas, confirma o que eu digo.

A Fal testemunha, dia a dia, hora a hora, minhas exortações ao trabalho
dirigidas ao valoroso Zé.
Bondoso até o último fio de cabelo. Forte.
Obediente e gentil como só alunos primeiros da classe costumam ser
mas confuso; como ele é atrapalhado!

Ele precisa de uma organização específica:.
encosta tudo na parede, depois,
forma fileiras progressivas e afastadas. Como pinos de boliche...

Mas ele é forte!
Meninos, ele carrega uma saca de livros, cheia até a boca,
como quem leva um travesseiro de plumas...
e isso por uma quadra, das antigas, de ladeira íngreme.

Porque quem tem um Zé por perto, tem sua energia exaurida
até a mais completa extinção...

Não o Zé!
Ele não se desmancha nunca.
Ele não desmorona jamais...

Ele é uma alegoria deambulante do Brasil.

                                                                   Até já!

2 comentários:

  1. fal... er... quer dizer Dona Paula21 de setembro de 2011 19:37

    Zé, o poeta o amigo da Dona Paula e do Talco, o cachorro da dona Paula! :o) Adoro ele, adoro.

    ResponderExcluir
  2. Olá filha Fal dos meus amores,
    Inda bem que tenho você pra confirmar: Zé é uma realidade!

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu recado para mim :o) Um beijo, Maliu